quarta-feira, 20 de abril de 2016

Espaço de gestar, espaço para amar.


            É tempo de gestar, tempo de sentir, tempo de conectar.
É tempo de abrir espaços pra chegada do bebê.
Espaço de corpo, espaço de casa, espaço de mente.
Espaço na vida;  pra encaixar, pra acolher, pra mudar.
Espaço pra gestar.
Espaço pra nascer.
Espaço pra amar.
Espaço pra crescer.

Foi com a massagem que aprendi a importância do espaço. Deste espaço que é dentro, mas também fora. Deste espaço que é físico e abstrato, dentro, fora e em torno.
A gestação é mudança. Tudo muda. Você muda, as relações mudam, a casa muda, o corpo muda e pra mudar é preciso espaço, é preciso tempo e coração aberto e disponível.
O bebê cresce no ventre, e cresce... e cresce... empurrando, apertando, se encaixando nos espaços que o teu corpo lhe permite. Teu corpo se abre, se espreme, e as vezes dói. É o espaço. São dois corpos se conhecendo e se conectando. Se apertando e se abrindo, um encontrando espaço no corpo e na vida do outro.
Achar esse espaço as vezes dói. O ciático, a lombar, as costelas, o coração. Abrir mão de planos pra que outros planos possam fluir. Refazer os desejos, acomodar o dinheiro. Desfazer o escritório e encher de brinquedo. Travar as gavetas da cozinha, talvez mudar até a gaveta de calcinha.
A massagem Thai Yoga me mostrou como abrir, como fluir, como encontrar esse espaço de dentro pra fora. Abrir o espaço dentro pra que o bebê se acomode, se espalhe. Abrir espaço dentro pra que a mãe se expanda e acolha. Sentir no físico para que possa levar a outros níveis este espaço, pra que o bebê caiba, pra que o bebê se encaixe na vida.

(Para saber mais sobre a massagem Thai Yoga na gestação e pós-parto click aqui.)



Nenhum comentário:

Postar um comentário